Saturday, January 14, 2006

Trajectos


Por aqui passa um mundo distante de quem habita estas terras. Muitos por aqui ficam e reconstroem a cartografia da sobrevivência. Outros partem, cumprem juramentos audazes. Poucos regressam com o sorriso de quem se esquivou do destino. Os sonhos cabem na palma de uma mão e têm nomes concretos. Nomes que abundam o mundo que cruza estes chãos, apressado. Para trás fica a névoa de pó, companheira não escolhida dos que vão fazendo caminho. E com ela, os cumprimentos das crianças, de mão estendida - «doce, doce, doce…». Não chegam a ser ouvidas. Desta vez não houve chuva de rebuçados, um gesto maquinal que resguarda as consciências. As crianças aguardam a próxima caravana, enquanto inocentemente tecem a vida com outras cores...

5 Comments:

Blogger Afonso Vaz Pinto said...

Excelente post. Kanimabo.
Abraço

9:01 PM  
Blogger Nkhululeko said...

Obrigado. Um abraço.

12:22 PM  
Blogger María Guilherme said...

São lindas as tuas palavras...
M.

11:22 AM  
Blogger Nkhululeko said...

Obrigado, «borboleta». Beijos.

5:18 PM  
Blogger Brigida Rocha Brito said...

Este post é de um realismo infinito. Lindo, belíssimo e com uma imagem muito bem adaptada. bjs

1:24 AM  

Post a Comment

<< Home