Sunday, March 23, 2008

Século XXI?!

Muito poderia dizer sobre as palavras que se seguem, assim como sobre os factos que as motivam. Para já, fico-me pela dolorosa constatação de que nada aprendemos com a história.

“Dizia, o malogrado Jeremias Nguenha, que o boer é diabo. Não só concordo com a afirmação, como também acrescento que boer é um animal semelhante ao ser humano, e que as diferenças entre os dois seres está nas faculdades mentais. Enquanto o ser humano age sempre como humano, o boer age em função das suas oscilações e desequilíbrios mentais. Em menos de uma hora pode agir como um macaco, camaleão, galinha, porco, entre outras, dependendo dos seus intervalos psicológicos […] Considero, sem exagero, o bóer um animal incapaz de conviver com pessoas culturalmente desenvolvidas. Conviver com um boer seria rodear-se de bichos perigosos. Admito domesticar uma cobra venenosa do que partilhar espaço com um boer; admito também partilhar o mesmo prato com qualquer animal do mundo do que partilhar a mesma casa com um boer”
(Lázaro Mabunda, O País, 21.03.08, pág. 8)

Frases que me obrigaram a reencontrar pele negra, máscaras brancas de Fanon: “não sou escravo da escravatura que desumanizou o meu país”.

5 Comments:

Blogger Torcato said...

Será que o Doutor não tem nada a ensinar ao jornalista que escreveu o texto em O País? Por exemplo que fazer generalizações sobre uma determinada raça (apesar de boer ser uma palavra julgo que africaans, que significa agricultor e que racistamente se passou a chamar a qualquer sul-africano branco, é racismo igual ao mostrado pelos "boers" que teriam despedido um hospede por ser negro?

1:10 PM  
Blogger Nkhululeko said...

Olá Torcato,
Ensinar, nunca. Há quem faça isso excelentemente.
Por favor, "doutor" não. Simplesmente, André.
Muito obrigado pela visita e por deixar o seu comentário.
Parece que temos estado a semear ódios...

7:19 PM  
Blogger Madalena said...

Um abraço cheio de saudade da minha terra!
O que acabei de ler faz-me pensar: se cada um de nós pudesse semear a paz?! Concordo contigo, André: nada aprendemos com a História!

8:17 PM  
Blogger Torcato said...

André - obgada, chame-me Maria - eu estava ainda a sofrer da irritação, e principalmente desgosto, de ver um jornalista escrevendo uma crónica de reiva insultuosa e em última análise extremamente racista. E isto como reacção a um incidente que ele não diz se testemunhou ou não, se não quem lho contou, onde aconteceu, quando, etc - tudo aquilo que na prática jornalística é o be-a-bá. Esses epi~´odios são de denunciar com todos os dados possíveis, às autoridades e, porque não, nos jornais. Mas assim, entreistece-me a mim, entristece por exemplo Nelson Mandela - desculpem o argumento de autoridade - e até o Jacob Zuma que recentemente declarou pretender convidar os farmeiros - estes sim, boere - para se juntar ao ANC. Ironias da história e da política.

10:40 AM  
Blogger Elísio Macamo said...

andré, ainda bem que chamaste a nossa atencao para este texto. quando o li nao pude acreditar que estivesse a ser escrito nos dias de hoje em mocambique. triste.

6:46 PM  

Post a Comment

<< Home