Saturday, October 22, 2005

Percursos Sem Método

E assim, com um post tropeçado (talvez uma reverência à experimentação do erro), começou a odisseia nkhululeko, que não se propõe nada mais do que, desregradamente, percorrer a vida.

11 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Aqui vai uma mensagem de incentivo para quem tropeça e desconcerta as regras da vida. Gosto da ideia!

8:23 PM  
Anonymous jpt said...

então bom bloguismo
o nome do blog significa o quê?
e o nome do autor, é segredo?

5:43 PM  
Anonymous Nkhululeko said...

Significa liberdade/independência. Não é segredo nenhum..Nhululeko não te parece bom nome?

7:33 PM  
Anonymous jpt said...

em que língua?

12:21 AM  
Anonymous Nkhululeko said...

Em changana, provavelmente também em ronga.

7:05 AM  
Anonymous jpt said...

nabos da púcara, diz o meu povo...
"provavelmente também em ronga"? então estamos na mesma, título em língua não nossa?
boa divulgação, é o desejo. cumprimentos

3:15 PM  
Anonymous Nkhululeko said...

O não ser «nossa» língua é dicutível. É de todos! Ainda bem que é apropriada e, parafraseando Craveirinha, recombinada também neste satanhoco blog. Um abraço

3:39 PM  
Blogger IO said...

Chego cá via 'maschamba' e deixo um abraço de boas vindas - IO.

5:46 PM  
Anonymous Nkhululeko said...

Muito obrigado, IO. Um abraço

9:08 PM  
Blogger Mário Rui Cruz said...

Concordo...
Todos nós temos a nossa língua... denominada de interlíngua... É única, pessoal e instransmissível, sendo o resultado de todas as nossas vivências linguístico-comunicativas... É o nosso linguistisches Weltwissen... o nosso passaporte para outros mundos!

2:51 PM  
Anonymous Nkhululeko said...

Alô Mário Cruz, partilhamos vários universos, incluindo linguísticos, ainda que de forma própria, contextualizada, dinâmica. Transmitimos e recebemos. A «pessoaldidade» consistirá, porventura, do modo particular como construimos (ou podemos construir) essa dinâmica. Mas sempre abertos ao mundo e a nós próprios. Um abraço.

4:31 PM  

Post a Comment

<< Home